Dicas para pessoas com deficiências ou restrição de mobilidade em Viagens Internacionais

Dicas para pessoas com deficiências ou restrição de mobilidade em Viagens Internacionais

19 Outubro, 2018 0 Por segurodviagem
Spread the love
  • Reserve voos com antecedência e ligue diretamente para a companhia aérea para garantir que todas as necessidades relacionadas a deficiências sejam atendidas. Peça o nome e a posição de cada pessoa com quem você fala e registre essa informação.
  • Faça a programação para viajar entre aeroportos ou se deslocar até eles. Muitas Cias oferecem bônus para táxis e transporte para o aeroporto gratuitos. Faça estes arranjos com antecedência, juntamente com o seu programa de voo, para evitar frustrações na chegada e partida.
  • Chegue ao aeroporto uma hora mais cedo do que o normalmente aconselhado. Isso permitirá um bom tempo para que as acomodações sejam feitas e evite atrasos ou transtornos.
  • Considere a possibilidade de revezar a duração de seus voos, dependendo das necessidades e deficiência. Vôos longos podem ser desconfortáveis, especialmente para pessoas que não podem usar os apertados banheiros de avião. Voos de conexão mais curtos podem ser uma alternativa melhor.
  • Deixe pelo menos 90 minutos entre os voos de conexão (ou mais, se necessário, para passar pela imigração e alfândega durante uma escala), a fim de garantir tempo suficiente para a transferência entre os portões.
  • Tente investigar o layout dos assentos e acessar os recursos de todos os aeroportos ao longo do seu trajeto, mesmo se você estiver apenas esperando uma parada curta e considerar possíveis planos de contingência se o acesso não estiver disponível. Uma comadre ou urinol na sua bagagem de mão poderá salvar o dia se você for um usuário de cadeira de rodas.
  • Peça ajuda e seja específico sobre como ser levantado, se necessário, no embarque e desembarque, incluindo assistência para além dos pontos de verificação do operador de despachos e entre os portões, mas mantenha o controle de sua bagagem, se passar pela alfândega.
  • Solicite que um indivíduo não-tripulado o auxilie pela segurança até seu portão de embarque, se necessário, indo até o balcão de check-in da companhia aérea e recebendo um “passe” que permita que ele passe pelo controle de acesso, mesmo sem bilhete.
  • Estabeleça requisitos dietéticos especiais ou peça ajuda nas refeições (o pessoal da companhia aérea não pode ajudar muito com a alimentação, mas deve ajudar com a abertura de pacotes e a identificação de itens alimentícios em uma bandeja de refeição).
  • Solicite um assento específico com antecedência, como o assento do anteparo (primeira fileira), se necessário para transferência de cadeira de rodas, para ajustar melhor seu corpo devido a condição física ou ainda para o cão guia. Esteja ciente de que nem todos os assentos têm braços móveis.
  • Pesquise informações on-line sobre patrulhamento de fronteira e triagem alfandegária no aeroporto e, se tiver dificuldade em se comunicar, explique o que seria útil para eles fazerem em relação à sua deficiência (por exemplo, escrever antecipadamente num papel todas as perguntas que possam fazer e as respectivas respostas).